Está preocupado?

Está preocupado?
  • Data
    de 31/10/2014 até
  • Autor
    Pr. Jucimar Ramos
  • Download
    Clique aqui e faça o download
    desse estudo em PDF
“... Dirigindo-se aos seus discípulos, Jesus acrescentou: Portanto eu lhes digo: Não se preocupem com sua própria vida, quanto ao que comer; nem com seu próprio corpo, quanto ao que vestir. A vida é mais importante do que a comida, e o corpo, mais do que as roupas.
Observem os corvos: não semeiam nem colhem, não têm armazéns nem celeiros; contudo, Deus os alimenta. E vocês têm muito mais valor do que as aves! Quem de vocês, por mais que se preocupe, pode acrescentar uma hora que seja à sua vida? Visto que vocês não podem sequer cuidar de uma coisa tão pequena, por que se preocupar com as coisas que estão completamente fora do controle de vocês?
Observem como crescem os lírios. Eles não trabalham nem tecem. Contudo, eu lhes digo que nem Salomão, em todo o seu esplendor, vestiu-se como um deles. Se Deus veste assim a erva do campo, que hoje existe e amanhã é lançada ao fogo, quanto mais vestirá vocês, homens de pequena fé!
Não busquem ansiosamente o que comer ou beber; não se preocupem com isso. Pois o mundo pagão é que corre atrás dessas coisas; mas o Pai sabe que vocês precisam delas. Busquem, pois, o Reino de Deus, e essas coisas lhes serão acrescentadas.”
Lucas 12. 22-31

Leia o texto abaixo de autoria de Bárbara Rocha e você perceberá que está ficando preocupado sem absolutamente nenhuma razão.

Pr. Jucimar Ramos

"Um capelão militar elaborou, certa vez, uma "Tabela de Preocupações", baseando-se nos problemas que homens e mulheres haviam lhe trazido durante os anos que tinha trabalhado naquela função. Ele concluiu que as preocupações se encaixavam nas seguintes categorias:
  • Preocupações com coisas que nunca aconteceram - 40%
  • Preocupações com decisões tomadas no passado e que não podem ser mudadas - 30%
  • Preocupações com enfermidades que nunca aconteceram - 12%
  • Preocupações com adultos, crianças e amigos (que eram capazes de tomar conta de si mesmos) - 10%
  • Preocupações com problemas verdadeiros e que podiam ser mudados - 8%
De acordo com essa tabela, 92% de todas as preocupações referem-se a situações que não podemos controlar e que deveriam ser deixadas nas mãos de Deus. A verdade é que a maioria de nossas ansiedades está enraizada na falta de confiança em Deus. Simplesmente não acreditamos que Ele é suficientemente grande e suficientemente capaz de cuidar de nossos problemas, de nos dar o que desejamos e de nos manter - e manter também as pessoas que amamos - longe dos perigos. Quando conhecemos verdadeiramente a Deus, é fácil entendermos como nossas preocupações são inúteis na maior parte do tempo!
Bárbara Rocha 
Copyright ©2017 - INSTITUTO BÁLSAMO DE GILEADE
Design by: Aldabra criação de website